Hóquei

15ª equipa do ranking mundial de hóquei contra a 21ª

JDR

Juventude de Viana e Sporting Clube de Tomar encontram-se esta noite em Monserrate para disputar a 20ª jornada do campeonato nacional da 1ª divisão de hóquei em patins. Este é o primeiro jogo depois de divulgado o ranking mundial onde a Juventude de Viana é a 15ª melhor equipa do mundo e o Tomar a 21ª.

Entre as 858 equipas a nível mundial analisadas durante o ano de 2017, as portuguesas alcançaram bons resultados e é com este orgulho que vão entrar em pista este fim de semana.

Na primeira volta o Tomar venceu a Juventude de Viana por 4-2. Por isso, na antevisão ao portal do clube, o atleta Nuno Santos destaca que a Juventude de Viana vai “encontrar uma equipa super moralizada que venceu nas últimas três jornadas e vem de uma vitória importante sobre a Oliveirense. Sabemos o valor que a equipa do Tomar tem, mas estamos preparados para ficar com os três pontos”.  Por seu turno, os vianenses somam por vitórias consecutivas os dois últimos encontros.

Da mesma forma os vianenses não vão querem perder a partida porque ficam em igualdade pontual com o Tomar e o objectivo é continuar a subir na tabela classificativa, sabendo que estão em igualdade pontual com o Barcelos. “Vamos fazer de tudo para ganhar todos os jogos que temos pela frente”, prossegue Nuno Santos.

Atualmente no campeonato, a Juventude de Viana é 7ª classificada com 30 pontos e o Tomar é 6º com 27.

André Azevedo despede-se da alta competição aos 41 anos.

Após a lesão decorrida em Janeiro, André Azevedo anunciou a retirada das pistas como jogador. Em declarações ao portal zerozero.pt o atleta explicou. “Foram três operações em três semanas, uma maxilofacial e duas ao olho. E provavelmente ainda vou continuar. A nível ocular deverá haver uma sequência de operações. Não consigo ver nada do olho direito. Esteticamente está tudo bem, mas o olho não está a cumprir a sua função. Para já os médicos não querem assumir nada porque estamos numa fase embrionária. Só daqui a uns meses é que pode ser feito um diagnóstico para algo mais favorável ou não. Mas tenho uma entrada de luz, vejo uns vultos e por isso há esperança”.

Prossegue ainda, “isto aconteceu numa fase em que, devido à minha idade, a carreira já devia ter terminado. Mas há dois anos o projeto da Juventude de Viana aliciou-me e com a chegada do Renato [Garrido] e do Edo [Bosch] acabei por manter-me. Esta era a minha última época, mas acabou mais cedo uns meses. A minha carreira está feita”.

Esta notícia foi vista com tristeza por parte dos seus colegas de equipa que não tardaram a enobrecer as qualidades de André como pessoa e como colega de equipa. “Partilhar o balneário com o André é extraordinário, a constante boa disposição dele é contagiante. Toda a gente conhece e reconhece as qualidades dele como jogador, mas como ser humano é igualmente fantástico. Acho que falo por toda a gente que partilhou o balneário com ele, que foi um prazer”, transmitiu Nuno Santos.

 Topo