Ciclismo Volta a Portugal

Braga trocou o S. João por Mateos

A duas etapas do fecho da 80ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta, a 8ª etapa ligou Barcelos a Braga, na tirada mais curta da prova. Os perseguidores da amarela ficaram a vê-la pelo canudo porque continua na posse de Raúl Alarcon (W52-FC Porto). O vencedor da etapa é um repetente no feito, Vicente de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli).

A equipa do líder da amarela, W52-FC Porto, controlou boa parte da etapa, sendo que chegaram a haver na frente da corrida 11 corredores que chegaram a ter vantagem de 6 minutos. No entanto foi o Louletano que impôs um ritmo muito forte na etapa, abrindo caminho para a vitória de Vicente de Mateos.

“Foi um dia mais tranquilo, a fuga do dia deu-se mais fácil e a nossa equipa foi controlando a etapa sem ambição de anular a fuga. Outras equipas queriam discutir a etapa e acabaram por assumir as despesas da perseguição. A parte final era dura com a subida ao Bom Jesus o que acabou por selecionar o pelotão, o Raul chegou na frente sem perca de tempo que era o principal objetivo”, explicou ao Desporto em Viana César Fonte.

A vitória do atleta do Louletano não foi suficiente para roubar a amarela ao atleta da w52-Fc Porto. Alarcon continua com alguns segundos de vantagem para o segundo, o português Joni Brandão (Sporting Tavira) que está a 52s, mas não tem a vitória garantida.

Depois de uma etapa que muito lhe diz, César Fonte acabou por chegar 55 segundos depois dos primeiros. “Pessoalmente continuo a fazer o que tenho feito durante esta volta toda: trabalhar em prol do nosso líder”.

A última tirada em linha, antes do contrarrelógio final em Fafe, liga Felgueiras a Mondim de Baixo, num total de 155,2 quilómetros. O Monte Farinha, em Mondim de Basto, vai ajudar a definir a classificação. Para o vianense César Fonte “será uma etapa muito dura e bastante importante para a classificação geral, para mim é a etapa mais dura desta edição da Grandíssima”, rematou.

 Topo