Futebol

“Chuva de golos perdidos” na vitória do Vianense

Foram três, podiam ter sido muitos mais. O Vianense venceu o Neves por 3-0, num jogo que controlou de princípio ao fim e segue na liderança do campeonato.

O Neves subiu ao bem tratado relvado do estádio Dr. José de Matos após uma semana complicada de preparação a níveis físicos, personalizada em Pinto, com a cabeça ligada. Já o Vianense mostrou estar bem jogando em casa e não acusando o empate sofrido na ronda anterior.

A história do jogo foi-se desenrolando naturalmente, com os ânimos serenos na bancada composta. Cristiano foi o primeiro a ajudar os espectadores azuis e aquecer as mãos com um aplauso, ao rematar cruzado aos 8 minutos. Rodrigo Viana fez o mesmo para os do Neves, mas remata à figura de Vasco após brinde de Rafa.

O Vianense chega ao golo da forma que foi replicando na partida, com a defesa do Neves a ser batida nas costas. Aos 21 minutos Vitor Tognetti é lançado por Tiago Magalhães e isolado não falha, abrindo o marcador. Até ao intervalo Diogo Correia surgiu três vezes na cara do antigo colega de equipa mas esteve mal no aproveitamento dos lances.

Só perto do intervalo o Neves voltou a criar perigo. Amorim fez algo idêntico a Cristiano e em cima do apito para os balneários Erik penteia um livre cruzado por Diogo Sousa mas Vasco defende no chão.

Na segunda metade o Neves procurou o empate mas não conseguiu concretizar lances de perigo na baliza de Vasco. O Vianense foi controlando as operações no meio-campo, apostando em transições rápidas. Aos 65, Fábio Sequeira fez o 2-0, assistido por Vitor Tognetti, num lance em que a equipa do Neves fica a reclamar mão. Aos 72, Elson responde da melhor forma a um cruzamento de Diogo Correia. Nos últimos 15 minutos assistiu-se a uma “chuva de golos” falhados, com Hélder a superiorizar-se nos confrontos com Vitor, Fidel e Fábio.

Na análise à partida o treinador do Vianense, José Pequeno entende que o “o resultado peca por escasso”. “Na segunda parte o adversário subiu mais uns metros, tivemos mais espaço. Concretizamos dois, mas tivemos uma chuva de golos perdidos”, num jogo que classificou de “bom”, com “três boas equipas e ganhou a que foi melhor”.

Já Rogério Amorim entende que viu a sua equipa fazer um “belíssimo jogo”. “Reconhecemos que o Vianense tem uma excelente equipa e fez também um bom jogo. Quem perde por 3-0 tem de aceitar”. O técnico considerou não ser fácil “criar mais oportunidades de golo” quando foi “permitido aos defesas do Vianense travar de todas as formas e feitio” o Erik.

Estádio Dr. José de Matos
Vianense 3
Vasco, Elson, Diogo Gonçalves, Diogo Correia (Zé Miguel, 74min), Fábio Sequeira, Vitor Tognetti (Fidel, 83min), Rafa, Tiago Magalhães, Cristiano © (Lucas, 79min), Óscar Sá, Vitor Hugo. Treinador: José Pequeno

Neves 0
Hélder, Pinto, Pedro Ralo, Diogo Sousa ©, Jeremy, Ruizinho (Matos, 87min), Erik, Rodrigo Viana (Pavlov, 66min), Edgar, Amorim (Carlos, 87min), Óscar. Treinador: Rogério Amorim

Equipa de arbitragem
João Mota, Jorge Brito e André Matos

Marcha do marcador
1-0 Vitor Tognetti, 21min. 2-0 Fábio Sequeira, 65min. 3-0 Elson, 72min.

consulte aqui resultados e classificação após a 6.ª jornada

 Topo