Voleibol

“Confiança neles próprios”

José Domingos Ribeiro

Conseguida a manutenção, o treinador do Voleibol Clube de Viana, Ricardo do Lima falou em exclusivo ao Desporto em Viana.

«Foi difícil! Apesar de sermos melhores, fisicamente, tecnicamente e tacticamente, tivemos uma época sempre a perder, com constantes derrotas e isso não beneficia o aspecto psicológico da equipa. A equipa que vem da II divisão passou o ano a ganhar. Essa diferença fez-se notar e acabamos por entrar ansiosos e pouco pacientes. Hoje só pedi para que eles tivessem confiança neles próprios.

O Madalena fez um excelente trabalho, levando os três jogos a negras. Só que nós estivemos o ano todo a negras. Metade dos nosso jogos foram a negras e isso jogou a nosso favor. Soubemos aguentar a pressão.

Acabamos felizmente bem. Podíamos ter acabado mal pois uma negra é uma lotaria. No final não contive as lagrimas. Foi uma pressão tal que nem eu imaginava que isto ia acontecer.

Um treinador pronto para ir a jogo…

Cedi à pressão. Na semana passada também equipei, mas não entrei. Esta semana senti que estavam algo desorganizados. Como faltam jogadores, treino com eles e sentia-me bem fisicamente. O ombro direito não me deixa rematar mas para o bloco podia estar lá. Foi o que aconteceu. Entrava para bloco. Sabia as marcações que era preciso fazer e acho que não dava para mais que isso. Não foi por estar dentro que vencemos, ganhamos todos em conjunto. Os juniores também, que deram uma preciosa ajuda sempre que chamados.

Lance no quarto set

Tive medo que isso se virasse contra nós. Deixou tal revolta na equipa que pensava que isso se ia virar contra nós. Felizmente, mantivemos controlo e serenidade. O clique para a vitória foi a partir do momento em que passaram a jogar como equipa.

Balanço da época

Esta foi uma época longa, dura e que não iniciou como gostaríamos. Fui apanhado de surpresa no início, pois não era para ser o treinador. A três dias do início tive de assumir e fiz o meu melhor. Gostava de ter mais tempo para me dedicar. Não foi fácil. Agora o clube tem de fazer uma reflexão para não cometer os mesmos erros e começar já a preparar a próxima época. Temos de crescer muito mais na formação e começar a criar alguma identidade dos atletas, com o clube e com a cidade. Toda a gente acreditava que a manutenção estava garantida na fase últimos, mas fiquei sem distribuidor. Isso numa equipa curta em soluções como a nossa, acabou por resultar em derrotas, até chegarmos aqui.»

Ricardo Lima, treinador

 Topo