Hóquei

Equipas de Viana nos nacionais descontentes com a arbitragem

Numa só semana a Juventude de Viana, a militar na 1ª divisão, e a Escola Desportiva de Viana, em estreia na 3ª, mostraram o desagrado para com as equipas de arbitragem. No caso da Juventude de Viana há uma multa que ascende os 2000€, a mais pesada do conselho de disciplina desta época.

As duas formações vianenses fazem parte do mais recente Comunicado Semanal de Castigos a Patinadores e outros da Federação Portuguesa de Patinagem, de 29 de Janeiro.

A Juventude de Viana viu esta semana circular nas redes sociais um vídeo onde estavam alguns dos lances polémicos do último jogo, com a Oliveirense. Ainda não se conhecia a mão pesada que viria a ser aplicada ao clube e que, por certo, condicionará as contas para aquilo que são as necessidades correntes de um clube amador. É também a mais pesada multa desde o início da época e, com isto, a Juventude de Viana é também o clube com mais dinheiro aplicado para pagar multas.

“Jogo Juventude de Viana- SC Tomar: Ass. Juventude Viana, foi punido(a) com, multa de €1160,00 (mil cento e sessenta euros), nos termos do(s) artigo(s) 105º e artigo 83º 1 alínea a), 26º 1 alínea m), do Regulamento de Justiça e Disciplina. Distúrbios

Jogo Juventude de Viana- Oliveirense: Ass. Juventude Viana, foi punido(a) com, multa de €1160,00 (mil cento e sessenta euros), nos termos do(s) artigo(s) 83º 1 alínea a) e artigo 105º 2, 26º 1 alínea m) e n), do Regulamento de Justiça e Disciplina. Distúrbios”

Embrulhada num regulamento em que o facto de ser reincidente lhe dá automaticamente direito a uma alínea extra, a Juventude de Viana viu, nos dois jogos decorridos em Monserrate na passada semana, aplicada a mesma coima. As justificações precisamente as mesmas.

Artigo 26º – 1

m) a reincidência, quando ainda não tiver decorrido um ano sobre o fim do cumprimento de pena anterior ainda que de igual natureza;
n) a sucessão, quando ainda não tiver decorrido um ano sobre o fim de cumprimento de pena anterior, mesmo de diferente natureza;

Artigo 83º – 1
Os Clubes que não assegurem a ordem e a disciplina dentro da área dos recintos ou complexos desportivos, antes, durante e após a realização dos jogos, e desde que se verifique qualquer distúrbio provocado por espectador ou espectadores seus adeptos ou simpatizantes, serão sempre por estes responsáveis e punidos nos termos seguintes:

a) Sempre que se verifique perturbação da ordem ou disciplina, designadamente, arremesso de objectos, agressões, ameaças ou tentativas, incitamentos graves contra espectador, agentes de autoridade, dirigentes, médicos, treinadores, secretário, técnicos, auxiliares técnicos, empregados, componentes da equipa de arbitragem e patinadores, ou ainda, amotinação, sua ameaça ou tentativa, invasão de campo, sua ameaça e tentativa, seja ou não com o propósito de protestar ou molestar os referidos intervenientes, os Clubes serão punidos com a multa de 20% (vinte por cento) a quatro salários mínimos nacionais;

ARTIGO 105º

(Penas aplicáveis sem processo)

A aplicação de sanções não depende da instauração de qualquer processo disciplinar, salvo quando estejam em causa infracções qualificadas como graves, muito graves, ou quando a sanção a aplicar determine a suspensão de actividade por mais de trinta dias e/ou o pagamento de multa superior a dois salários mínimos nacionais.
As penas de multa de quatro a dez salários mínimos nacionais e a suspensão de actividade de trinta e um sessenta dias podem ser sempre aplicadas em conclusão de processo de inquérito sumário, excepto no caso de patinadores.

Independentemente das razões que o clube minhoto possa ter, o que é certo é que para reclamar também há uma taxa, o que, em clubes amadores, condiciona as decisões.

No comunicado de 12 de Dezembro de 2018, recorde-se que “Ass. Desp. de Oeiras, foi punido(a) com, multa de €174,00 (cento e setenta e quatro euros), nos termos do(s) artigo(s) 83o 1 alínea a), 26o 1 alínea o) e artigo 28o 3, do Regulamento de Justiça e Disciplina. Distúrbios”

Por seu lado, a EDV não tem multa pecuniária, mas “Luis Miguel Rodrigues Costa, patinador do Escola Desportiva de Viana, foi punido(a) com três jogos oficiais de suspensão, nos termos do artigo 50º 1 alínea 1.2 e artigo 6º 3, conjugado com o artigo 27º 1 alínea a), do Regulamento de Justiça e Disciplina”.

Artigo 50º (Contra a equipa de arbitragem)

As faltas dos patinadores e agentes desportivos cometidas contra a equipa de arbitragem são punidas da seguinte forma:

1. FALTAS LEVES

  1. 1.2  Uso de expressões, entrevistas, desenhos, gestos, de carácter injurioso, difamatório ou grosseiro: suspensão de actividade por dois a quatros jogos ou provas

Artigo 6º

  1. A aplicação de sanções não depende da instauração de processo disciplinar, salvo quando estejam em causa infracções consideradas graves, muito graves ou quando a sanção a aplicar determine a suspensão de actividade por período superior a trinta dias.

Artigo 27º

(Circunstâncias atenuantes)

  1. São circunstâncias atenuantes das faltas disciplinares, nomeadamente:
  1. a)  o bom comportamento, determinado por não ter o agente sofrido qualquer sanção durante os últimos dois anos;”

No final do jogo na Madeira João Chavarria mostrou ao Desporto em Viana o descontentamento que invada. “Estou ligado à equipa sénior da EDV de hóquei em patins e verifico que todos os fins de semana vários clubes, nos corredores dos pavilhões, manifestam-se contra as arbitragens. O que é certo é que fica-se por aqui e não há coragem para denunciar. Só para dar conhecimento, a EDV deslocou-se à Madeira, o árbitro era da Madeira e na minha opinião não foi isento. Vou dar alguns exemplos. O nosso guarda-redes é agredido, manifesta-se por tal e, perante isso, os dois jogadores, agressor e vítima levam azul e respectivo livre direto; quando o Marítimo chega às nove faltas tudo o que fosse falta contra eles revertia para a EDV com advertências aos nosso atletas. Já tinha terminado o jogo o nosso outro guarda redes disse umas verdades e levou vermelho, fico por aqui”.

Independentemente de terem ou não razão, os dois clubes vêm-se condicionados, um em verbas e outro em opções. Juntando o somatório de verbas de um só comunicado a federação amealhou 5220€.

 

 

 Topo