Ciclismo Formação

Iúri Leitão marca o ponto na Volta a Portugal do Futuro

Sicasal-Constantinos-Delta Cafés U23 Cycling

O vianense Iúri Leitão  da Sicasal/Constantinos/Delta Cafés venceu ao ‘sprint’ a 6º etapa da 26ª Volta a Portugal do Futuro em bicicleta, etapa que decorreu em Santarém.

A 26ª edição da prova aconteceu de 5 a 9 de Setembro em seis etapas e, na última, Iúri Leitão, atleta de sub-13, saboreou a vitória com um tempo de 2:49:36 para os 118,3km do trajeto. Francisco Campos (Miranda | Mortágua) e José L. Ronconi Martinez (Baqué | Ideus | BH Team) fecharam o pódio.

O atleta vianese fez a sua formação na equipa da Tensai Sambiental Santa Marta, a qual deixou em 2014, e explicou em exclusivo ao Desporto em Viana as incidências da prova rainha para os jovens. “Em conjunto com toda a minha equipa, partimos para esta Volta a Portugal do Futuro com o objetivo claro de a vencer! Tínhamos um ciclista forte e preparado para disputar a classificação geral e foi nisso que apostamos desde o princípio. Enquanto sprinter que sou, o meu trajeto nesta Volta passava bastante ao lado da classificação geral e focava-se mais na conquista de etapas e na disputa da classificação por pontos, além de ajudar os meus companheiros em tudo o que fosse necessário. Infelizmente, e por problemas de saúde, ficamos sem o nosso líder, que foi obrigado a abandonar a competição na etapa rainha. A equipa, de um modo geral, ficou bastante afetada, mas soubemos levantar a cabeça e concentrar-nos naquilo que ainda podíamos fazer.

Com este constrangimento e equipa de Iúri Leitão não desistiu e, como o próprio explicou, tentaram “a vitória na quarta etapa, porém tivemos adversários à altura e, pessoalmente não consegui um resultado além do segundo lugar. Não baixamos os braços e sabíamos que a sexta etapa era a nossa grande chance de terminar esta Volta com chave de ouro, e assim foi! Planeamos tudo ao pormenor e conseguimos executar, e com todo o mérito dos meus colegas de equipa, tudo na perfeição, foi uma etapa que certamente não nos vamos esquecer! Acabo assim por ficar na segunda posição na classificação por pontos e terminamos a Volta com um balanço bastante positivo!”

Para os jovens esta é um competição com um significado especial, um passo para a Grandíssima. “É, sem dúvida, muito gratificante vencer naquela que é a corrida mais importante do ano para o nosso escalão em Portugal. São meses de preparação que, felizmente, foram recompensados com uma vitória já há muito esperada. Estou sem palavras para descrever a sensação que foi conseguir colmatar todo o trabalho dos meus colegas de equipa e de todo o staff, foram enormes. Tenho também de realçar o trabalho de bastidores que é feito durante todo o ano pelo meu treinador, é ele que lá esta em todos os episódios menos bons que enfrentamos durante uma temporada, por isso é o maior merecedor do meu agradecimento”.

Não esquecendo as origens da sua formação, o atleta vianense destacou: “é claro que não posso esquecer os anos de trabalho e aprendizagem porque já passei, desde as escolinhas da formação Santamartense até aos dias de hoje. Todos dias são importantes na formação de um atleta. Tenho como objetivo futuro fazer parte de uma equipa profissional, mas até la ainda há um longo caminho a percorrer e muito trabalho a ser feito dia-a-dia”.

A competição foi ganha por Venceslau Fernandes (Liberty Seguros-Carglass), filho do vencedor da Volta a Portugal em 1984, com uma vantagem de 21 segundos sobre Tiago Antunes (Aldro Team), segundo classificado, e 33 sobre Hugo Nunes (Miranda-Motágua), que terminou no terceiro lugar.

 

 Topo